segunda-feira, 13 de junho de 2016

SELEÇÃO??? BRASILEIRA???

Não Neymar, futebol não é isso, vocês não sabem o que pais de família sofrem com o futebol deixando muitas vezes de comprar coisas para sua própria casa para comprar um ingresso, isso que transformaram o futebol brasileiro tentando deixar tudo que nós fazemos aqui igual a Europa, ponto corrido, lei do passe, esquema tático, exportação de jogadores, tudo, tudo ficou uma verdadeira porcaria, os caras gastam milhões tentando imitar e comprar nosso talento e nós jogamos tudo fora para fazer de um jeito que eles mesmos não querem mais fazer, ficamos falando um monte de merda com relação a calendário e fórmulas mirabolantes, ficamos enaltecendo o que não é bom.
E pra você Neymar, extremamente cômodo, com a mediocridade que nós vivemos você pode até escolher se joga ou não uma competição, nunca em nenhum momento do universo, imaginaríamos que fosse imposto à seleção que tanto fez no mundo do futebol ficar dependente de um jogador, de um clube (isso se não tiver sido o próprio jogador) decidir que competição ele vai jogar por uma seleção, certo neste caso seria a CBF ter coragem e não te convocar em nenhuma, certo seria que realmente gosta de futebol parar de comprar produtos vinculados ao seu nome e a CBF, certo seria pararmos de assistir jogos da seleção brasileira, pararmos de comprar pacotes de  campeonato brasileiro, pra ver o que está sendo mostrado?? Vou a um campo de pelada, com certeza muito mais coisa boa verei, já acho que estamos atrasados em relação a ficarmos babando pelo que fazem lá fora e tomarmos nosso próprio rumo, de abrirmos mão deste orgulho idiota de termos participado de todas as copas do mundo, isso era muito bacana, muito legal quando o que nós praticávamos era uma coisa chamada futebol.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo querido flamenguista, expresse sua opinião.

Flamengo: Eduardo Bandeira de Mello e a Nebulosa venda de Paquetá

Pois é, foram dois mandatos como mandatário do maior clube do Brasil, o Flamengo, seis anos entre acertos administrativos acertados quando ...